Polícia Civil alerta população quanto aos golpes aplicados por telefone

Em Paraíso das Águas já foi registrado vários golpes aplicados.

Por Fernando Brito 12/02/2020 - 09:24 hs

Polícia Civil alerta população quanto aos golpes aplicados por telefone
Polícia Civil de Paraíso das Águas - Servir e Proteger.

Uma das mais conhecidas fraudes aplicadas contra a sociedade, o golpe do “prêmio fácil”, continua acontecendo e fazendo muitas vítimas todos os dias.

 

Estes golpes lançados contra os cidadãos através de ligações telefônicas geralmente partem de dentro das cadeias públicas, presídios e casas de custódia localizadas em todo o País, especialmente na região Nordeste. O golpe tem como finalidade abastecer créditos de celulares utilizados por criminosos dentro das prisões e recebimento de dinheiro através de transferência ou depósito bancário.


 

O golpe geralmente é sempre o mesmo: de dentro da cadeia, os presidiários usam aparelhos celulares para aplicar o crime. A vítima é informada, por meio de mensagem, de que acabou de ganhar um prêmio valioso (geralmente, automóveis, motocicletas, casas, viagens, computadores ou aparelhos eletrodomésticos). Mas, para poder recebê-los terá, em contrapartida, que comprar créditos telefônicos e enviá-los para números fornecidos pela suposta “empresa” responsável pela promoção.


 

A Polícia Civil de Paraíso das Águas iniciou uma campanha de orientação, para evitar que novas vítimas sejam feitas.

 

O golpe do defeito mecânico é a mais recente invenção dos golpistas que liga para uma pessoa informando que um parente seu está com problemas mecânicos no carro e precisa de um depósito de dinheiro urgente para ajudar a solucionar o problema e no anseio de ajudar o parente, a vítima nem pergunta detalhes, não questiona e somente quer ajudar da forma mais rápida.


 

“Caso você seja premiado com algo, não faz sentido em retribuir o prêmio com um depósito ou com a compra de créditos para celular, considerando ainda que você não se cadastrou em nenhuma campanha ou promoção. Desconfie sempre”, instrui a Polícia Civil.


 

“Os registros deste tipo de ocorrência policial podem não representar a realidade, pois, geralmente as pessoas procuram a Polícia somente quando efetivamente caem no golpe, depositam dinheiro numa conta fornecida pelo estelionatário ou compram créditos para celulares. Mesmo que a pessoa não faça o depósito porque achou que aquilo era um golpe, ela deve procurar a Polícia e prestar queixa, fornecendo os dados que lhe foram repassados, assim pode-se iniciar uma investigação que poderá desarticular uma cadeia criminosa de golpistas”, enfatiza a Polícia Civil.