Homem é picado por cascavel em fazenda de Paraíso das Águas

A vítima foi atendida no ESF Aristóteles Garcia Vida

Por Fernando Brito 10/04/2019 - 10:21 hs
Foto: Divulgação
Homem é picado por cascavel em fazenda de Paraíso das Águas
Cascavel - gêneros Crotalus e Sistrurus.

PARAÍSO DAS ÁGUAS - Danilo Florêncio de Castro, 23 anos de idade, foi picado por uma cobra cascavel, na manhã desta terça-feira, 10/4, na Fazenda Firmamento, no município de Paraíso das Águas.

A vítima recebeu os primeiros socorros na unidade de saúde do município, no ESF Aristóteles Garcia Vida.

A equipe médica de Paraíso das Águas foi avisada com antecedência, antes da vítima chegar no pronto socorro.

O jovem será encaminhado para a Fundação Hospitalar de Costa Rica, distante 120 km de Paraíso das Águas.

Cascavel - gêneros Crotalus e Sistrurus:

Características: Fosseta loreal ou lacrimal, extremidade da cauda com guizo ou chocalho. Menos agressivas do que as jararacas e são encontradas em locais secos.

Fisiopatologia e Manifestações Clínicas

  • Veneno
    • Ação neurotóxica: Crotoxina, gera um bloqueio neuromuscular pela inibição a liberação de acetilcolina;
    • Ação miotóxica: Lesões em fibras musculares gerando um quadro de rabdomiólise;
    • Ação coagulante: Atividade trombínica convertendo o fibrinogênio em fibrina. Discretas manifestações hemorrágicas.
  • Quadro Clínico:
    • Marca local, edema e eritema discreto, em geral não há dor ou se há é discreta. Pode ocorrer parestesia local ou regional;
    • Sudorese, vômitos, mal-estar, cefaleia, secura de boca, sonolência ou inquietação;
    • Fáscies miastênica, paralisia velopalatina, deglutição, diminuição do reflexo do vômito, alterações do olfato e paladar (tendem a regredir após 3 a 5 dias);
    • Mialgia, mioglobinúria e rabdomiólise;
    • A principal complicação é a necrose tubular aguda.
  • Exames complementares: Solicitar Hemograma completo, coagulograma, EAS, bioquímica (sódio, potássio, fósforo, ácido úrico, cálcio, uréia, creatinina, CK, LDH, AST e ALT).
  • Alterações laboratoriais:
    • CK, LDH e ALT elevadas;
    • Leucocitose com neutrofilia;
    • Ureia, creatinina, ácido úrico e potássio elevados;
    • Hipocalcemia;
    • TAP e PTT alargados, sendo que o TS pode estar incoagulável.

Tratamento Específico

  • Geral:
    • Manter segmento picado elevado e estendido;
    • Analgésico para alívio da dor;
    • Hidratação: Controlar parâmetro pela diurese – 30 a 40 ml/h no adulto, 1 a 2 ml/Kg/h na criança;
    • Diurese osmótica com manitol a 20% (5 ml/Kg em crianças e 100 ml no adulto), persistindo em oligúria utilizar furosemida EV (1 ml/kg/dose nas crianças e 40 mg/dose em adultos). O pH urinário deve ser mantido > 6,5 com Bicarbonato de sódio;
    • Antibioticoterapia na presença de infecção local;
    • Condutas intervencionistas específicas.
  • Específico: Soro Anticrotálico (SAC) por via intravenosa:
    • Acidente leve: 5 ampolas;
    • Acidente moderado: 10 ampolas;
    • Grave: 20 ampolas.
  • OBS: Na falta do SAC poderá ser utilizado Soro antibotrópico-crotálico (SABC).