Seja bem vindo
Paraíso das Águas,23/02/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Escala de mortes violentas continua indignando todo o País

    Em geral, caiu o número de homicídios, mas brutalidades como a de Sorriso ainda desafiam autoridades


    Escala de mortes violentas continua indignando todo o País

    Embora com o número geral de assassinatos em queda desde 2022, o Brasil não consegue comemorar. No outro lado da questão, os casos de mortes violentas não param de acontecer, com tragédias estarrecedoras, como aconteceu recentemente em Sorriso (MT).

    De acordo com o portal G1, o índice nacional de homicídios – que é baseado em dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal -, nos primeiros seis meses deste ano ocorreram 19,7 mil assassinatos. A queda em relação a igual período de 2022 é de 3,4%. O Estado que registrou a maior baixa foi Roraima, com 22,5%, enquanto 10 estados tiveram alta de mortes violentas: Acre, Alagoas, Amapá, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e no Tocantins.

    Estes dados não incluem as mortes decorrentes de violência policial e são contabilizadas no levantamento dos seguintes crimes: homicídio doloso (incluindo os feminicídios); latrocínio (roubo seguido de morte); e lesões corporais seguidas de morte. Em 2022, o Brasil teve uma queda de 1% no número de assassinatos, mas foram 40,8 mil mortes violentas intencionais. O Fórum Brasileiro de Segurança Pública avalia que, apesar de positivos estes indicadores, o país segue extremamente violento. Em média, foram quase 110 assassinatos por dia no último semestre.

    QUATRO MULHERES

    Em Sorriso (MT), o pedreiro Gilberto dos Anjos, 32 anos, foi preso pela Polícia Civil e confessou o assassinato de uma mulher e suas três filhas, que moravam vizinhas da obra onde trabalhava.  em Sorriso, em Mato Grosso. A mãe, Cleci Cardoso, 46, e as filhas (Miliane, 19; Manuela, 13; e Melissa, 10, foram mortas. Além de matá-las, Gilberto estuprou a mãe e as duas filhasmais velhas.

    O assassino confesso já era investigado pela acusação de ter matado o jornalista Osni Mendes Araújo, em dezembro de 2013, em Goiás (GO), após ter recebido uma proposta de relacionamento. De acordo com o Ministério Público de Goiás, Gilberto enforcou Araújo com a própria camiseta.

    Fonte: Folha CG




    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login