Preso por matar casal a facadas diz que resistiu à prisão para que PMs atirassem nele

Polícia procura por punhal usado para cometer o crime

Por Fernando Brito 30/05/2020 - 15:35 hs

Preso por matar casal a facadas diz que resistiu à prisão para que PMs atirassem nele
Casal foi morto enquanto dormia, ao lado de criança (Foto: MS Todo Dia)

Preso nesta sexta-feira (29), um dia depois de matar um casal a facadas em Costa Rica, a 384 quilômetros de Campo Grande, Jair Soares de Oliveira, 32 anos, afirmou durante depoimento na delegacia de Polícia Civil, que resistiu à prisão para que os policiais militares atirassem nele. Jair matou a ex-companheira Marilei Ramos, 32 anos, e o namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, 34, na última quinta-feira (28).

O delegado Cleverson Alves dos Santos afirmou que Jair foi orientado pelo advogado a não falar sobre o feminicídio e homicídio. “Ele permaneceu em silêncio sobre os fatos”, afirmou o delegado ao site MS Todo Dia. No entanto, Jair falou sobre o momento da prisão em Pedro Gomes.

Ele disse que no momento em que foi abordado, não quis descer do carro para que os policiais atirassem contra ele. “Ele também disse que depois tentou pegar a arma do PM para se matar, mas foi contido”, afirmou o delegado Cleverson. Com essa tentativa frustrada, Jair será indiciado também por resistência, por não obedecer à abordagem policial.

Ele também contou que após o crime, fugiu e se manteve escondido em fazendas na região, nos cocheiros. Na sexta-feira, chegou a furtar 20 litros de combustível de uma fazenda antes de fugir e a Polícia Civil acredita que ele estava em contato com um parente, que o ajudaria a fugir até o Pantanal.

A arma utilizada no crime, conforme o delegado, era um instrumento perfurocortante artesanal, uma espécie de punhal. Ele jogou a arma em um matagal na cidade e a polícia vai até o local na manhã deste sábado (30) para apreender o objeto. O delegado Cleverson também falou sobre a intenção de fazer a reprodução simulada do crime, na casa onde ocorreu o duplo homicídio.

Até o momento, Jair foi autuado pelo feminicídio, por descumprir medida protetiva, resistência,  homicídio qualificado por motivo fútil e pela traição ou emboscada. Jair teria invadido a casa da ex-mulher, onde ela dormia com a filha de 3 anos e o atual namorado. O suspeito então matou o casal esfaqueado na frente da criança e fugiu em seguida.

O repórter Sidney Assis acompanhou a chegada do suspeito na delegacia da cidade de Coxim (MS), antes de ser transferido para Costa Rica.