Polícia realiza reconstituição de crime na Pedra Branca; assassino teria planejado morte de mais dois

A Perícia e a Polícia Civil reconstituiu todo o trajeto do assassino.

Por Fernando Brito 19/06/2020 - 19:18 hs
Foto: Tomas Lucas
Polícia realiza reconstituição de crime na Pedra Branca; assassino teria planejado morte de mais dois
Local de onde o atirador atacou a vítima.

A Polícia Civil através do SIG (Setor de Investigações Gerais) e perícia técnica da Polícia Cientifica, realizaram nesta sexta-feira(19) a reconstituição do homicídio ocorrido na comunidade Pedra Branca, no Município de Chapadão do Sul (MS) - comunidade que fica na divisa com o Município de Paraíso das Águas.

Sidinei Quintana, 43 anos, refez todo seu trajeto para esclarecer como assassinou Amanda Souza Barbosa, 34 anos, no último dia 12 de maio de 2020, numa terça-feira.

A reconstituição que demorou cerca de três horas, reproduziu com clareza como Sidinei planejou assassinar a vítima, que não teve a chance de defesa.

O único tiro certeiro acertou a vítima pelas costas. Ela estava próximo ao fogão, na área externa de sua residência, no momento em que foi alvejada com um único disparo, de uma espingarda calibre 32, com munição de fabricação própria.

Mais parecendo um filme, a história é considerada macabra. Foi cuidadosamente estruturada e periciada cada detalhe antes de ser consumado o crime.

Sidinei ficou escondido em uma mata nas proximidades por meses e era próximo ao esposo e da própria vítima, com quem mantinha bom relacionamento.

Ele trabalhava como construtor civil na comunidade e acabou ganhando a confiança do casal e do filho da vítima.

O QUE TERIA CAUSADO O CRIME?


Sidinei durante o percurso da reconstituição, relatou que no ano de 2018, durante uma festa do Dia dos Pais, na comunidade, durante o dia, houve um desentendimento entre o esposo da vítima com um morador da região, que trabalha em uma fazenda próximo à comunidade, por nome Daio.

Daio teria durante o evento, tirado Amanda para dançar uma música, momento em que o esposo de Amanda não teria gostado, iniciado uma discussão breve no salão de eventos.

Após um ano, durante uma festa junina no mesmo local, na comunidade, já com a presença de Sidinei, uma outra confusão teria ocorrido. Uma discussão entre Sidinei e Daio teria ocorrido. Sidinei teria agredido verbalmente Daio, tomando as dores do esposo de Amanda, momento em que a briga acabou generalizada. Daio teria disparado um tiro de arma de fogo contra Sidinei.

Daio dias depois acabou sendo preso em flagrante pela Polícia Civil de Paraíso das Águas, ao ser encontrada a arma dentro de sua residência.

Com ódio do ocorrido e ficando muito ferido com as agressões não só de Daio, mas de outros envolvidos, Sidinei resolveu vingar as agressões.

A partir daí, começou uma busca incessante de Sidinei pela oportunidade certa de vingar-se contra Daio. Ele ficou de espreita por meses para tentar tirar a vida de seu inimigo.

Sidinei contou detalhes e não escondeu o ódio que sentia não só de Daio, mas sim do casal de amigos que havia conhecido e que tinha grande consideração.

Escondido na mata, Sidinei contou que ouviu quando em um certo dia ouviu Daio se aproximando da residência do casal (Amanda e seu Marido) e conversando. Ele a partir daí, teria tomado um certo ódio do casal, por sentir que ambos estavam o traindo e planejando contra sua vida, pois disse que ouviu claramente um plano para tentar tirar sua vida.

A partir deste momento, começou à seguir não só Daio, mas sim o casal, quem planejava contra sua própria vida.

Em um certo dia, estava escondido na mata, cerca de 15 à 20 dias antes de matar Amanda, quando com uma arma disparou contra o esposo de Amanda, durante um churrasco, não acertando seu alvo.

Sidinei contou que ele mesmo, fabricou suas munições para cometer o crime. "Fiz com que elas ficassem mais potentes", afirmou. Com uma espingarda calibre 32, que havia lubrificado e enterrado por meses no quintal de seu lote, foi utilizada para matar Amanda.

Durante grande parte do tempo, o assassino permaneceu muito próximo ao local do crime. Se refugiava ao lado da residência onde a vítima foi assassinada. Uma faca foi encontrada em imóvel sem terminar, ao lado da casa da vítima. O assassino confirmou que a faca pertencia a ele, que ficou alí por alguns dias.

COMO MATOU AMANDA?