Prefeito, vice e secretária dão boas vindas à equipe da Carreta da Justiça que estão atendendo em Paraíso das Águas

A Carreta da Justiça está atendendo nesta segunda e terça em Paraíso das Águas.

Por Fernando Brito 23/02/2021 - 08:53 hs
Foto: Max Arantes
Prefeito, vice e secretária dão boas vindas à equipe da Carreta da Justiça que estão atendendo em Paraíso das Águas
Equipe do Judiciário recebeu os representantes do Executivo Municipal.

O prefeito municipal Anízio Andrade (DEM), o vice-prefeito Roberto Carlos (PSDB) e a secretária de Assistência Social, Habitação e Cidadania, Rozilda Pereira da Silva, receberam a equipe da Carreta da Justiça que estão em atendimento em Paraíso das Águas.

O juiz Luiz Felipe Medeiros Vieira e sua equipe, receberam os cumprimentos dos representantes do Executivo Municipal e foram parabenizados pelo projeto.

"A Carreta da Justiça é muito importante, onde a justiça chega mais perto da população, principalmente em nosso caso, que não temos ainda um Fórum na cidade", destacou o prefeito.

Anízio Andrade também agradeceu a equipe do judiciário que realiza o atendimento no município nestes dois dias, segunda(22) e terça (23).


A Carreta da Justiça tem competência para atuar em processos cíveis, criminais e dos juizados especiais das comarcas ainda não efetivamente instaladas e que a escolha dos municípios e localidades a serem atendidas observa critérios técnicos e conveniência do Poder Judiciário.

A Carreta da Justiça integra o programa Judiciário em Movimento, que tornou 100% dos municípios sul-mato-grossenses sedes de comarcas. Desde que foi lançada, em agosto de 2016, a iniciativa está levando mais qualidade e conforto no atendimento ao jurisdicionado, que não precisa mais deslocar-se de sua localidade para receber os serviços da justiça.

A unidade móvel é uma miniatura de um fórum: gabinete do juiz, sala para Promotor, Defensor Público, sanitário, uma pequena copa e a varanda na frente para recepção das pessoas, o que totaliza 44 m². O objetivo da proposta é aproximar o Judiciário da população e dar cidadania às pessoas que nunca tiveram atividade judicial e judiciária em sua cidade.