Produção agrícola é estimada em R$72 bilhões em Mato Grosso do Sul

Conforme Ministério da Agricultura e Pecuária o ano de 2021 terá aumento no Valor Bruto da Produção Agropecuária.

Por Fernando Brito 17/05/2021 - 13:46 hs

Mato Grosso do Sul projeta o ano de 2021 com aumento no Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), conforme divulgado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).  

Atualizado com os dados de abril, o valor que soma a produção da agricultura e pecuária para este ano é estimado em R$ 72,728 bilhões para Mato Grosso do Sul, aumento de 18,11% em relação ao total de 2020 (R$ 61,573 bilhões).

Nas lavouras, o incremento será de 22,43%, passando de R$ 42,081 bilhões no ano passado para R$ 51,522 em 2021.

Já a pecuária estadual tem o valor bruto da produção estimado em R$ 21,206 bilhões para este ano. Crescimento de 8,78%, ante os R$ 19,492 bilhões no mesmo período de 2020.

De acordo com os dados, o Estado deverá ter a sétima maior renda agropecuária do Brasil, responsável por 6,8% do total do País.

Os resultados regionais mostram a liderança da Região Centro-Oeste, cujo VBP é de R$ 356,106 bilhões. Na sequência, a Região Sul deve chegar ao total de R$ 302,433 bilhões.  

A Região Sudeste deve alcançar R$ 242,289 bilhões; Nordeste, R$ 94,869 bilhões; e Norte, R$ 69,148 bilhões. 

ACIONAL

No País, o VBP deste ano deve ser 12,1% superior em termos reais em relação ao ano de 2020, com base nos dados de abril. O valor estimado é de R$ 1,076 trilhão, enquanto o de 2020 fechou em R$ 960,185 bilhões.

As lavouras continuam liderando o indicador, sendo previsto faturamento de R$ 741,202 bilhões, e a pecuária, R$ 335,140 bilhões. O crescimento do valor das lavouras é de 16%, e da pecuária, 4,4%.

 

“A falta de chuvas no período de plantio de importantes culturas, como milho, soja e feijão, teve impactos ao prejudicar parcialmente essas lavouras. Esse fato, entretanto, não chegou a alterar o caminho de crescimento da safra. 

Permanecem, em essência os valores que representam resultado recorde da produção em 2021”, explica José Garcia Gasques, coordenador da pesquisa e de Avaliação de Políticas e Informação do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

PRODUTOS

Entre os produtos analisados pelo Mapa, a maioria teve avanço. Como o algodão, com crescimento de 3,7% do VBP; arroz, 4,8%; banana, 2,4%; cacau, 8,3%; cana-de-açúcar, 1,3%; milho, 22,7%; soja, 31,3%; e trigo, 25,4%.

Na pecuária, os melhores resultados são no segmento da carne bovina, com crescimento previsto de 10,3%, e carne de frango, com alta de 2,2%.

Já os campeões de faturamento em valores absolutos são soja, carne bovina, milho e cana-de-açúcar. Esse pequeno grupo contribui com 34% do VBP.

 

“Olhando a série de dados nos últimos 32 anos, verifica-se que este ano representa recorde para as seguintes atividades: algodão, soja, arroz, milho, trigo, carne bovina e leite”, analisa o coordenador.

Gasques destaca diversos fatores responsáveis pelos bons resultados do setor de grãos.  

“Os mais importantes são estoques baixos, demanda internacional e preços em expansão, e algumas incertezas com relação ao clima de países como os Estados Unidos”.

As retrações no VBP foram observadas nas culturas de batata-inglesa, café, feijão, mandioca e tomate. Carne suína e ovos também tiveram recuo.

Por Súzan Benites/Correio do Estado