Menina tem dois filhos após ser estuprada por 10 anos pelo padrasto em MS

Ao ser preso, homem alegou 'não saber' que não podia ter relações com a enteada

Por Fernando Brito 09/08/2021 - 13:53 hs

Após estuprar sistematicamente a enteada desde que a menina tinha 9 anos, em cidade de Mato Grosso do Sul, por aproximadamente 10 anos, um vigia de 67 anos, disse quando preso que ‘não sabia que não podia ter relações sexuais com a menina’. A vítima acabou engravidando do padrasto por duas vezes.

Na denúncia consta que o crime ocorreu entre os anos de 2003 e 2013 sendo que após a segunda gestação, os estupros cessaram com a prisão do autor. A menina era ameaça pelo homem para que não contasse nada a ninguém.

Após os nascimentos das crianças foi feito teste de DNA comprovando que as meninas eram filhas do padrasto com a enteada. Ao ser preso em seu depoimento, ele confessou que manteve relações sexuais com a enteada.

Mas, chegou a alegar que não sabia que não poderia ter relação sexual com garota. Ele ainda disse que as relações seriam após ela completar 14 anos. Ele foi condenado a 14 anos, 4 meses e 24 dias de reclusão, regime fechado.

A defasa apelou alegando inexistirem provas suficientes para a condenação, de modo que deveria ser absolvido, mas o recurso foi negado pela Justiça. 

Midiamax