Pequeno Davi passou por consulta e agora precisa urgente de cirurgia que custa R$ 217 mil

Família acionou justiça, mas corre contra o tempo para salvar o pequeno Davi.

Por Fernando Brito 12/02/2020 - 10:04 hs

Pequeno Davi passou por consulta e agora precisa urgente de cirurgia que custa R$ 217 mil
Davi têm apenas 2 anos e necessita da ajuda de todos.

A família do pequeno Davi Arthur Freitas dos Santos, de apenas 2 aninhos, está desesperada e sem chão.

Desde que diagnosticado com uma doença rara, por nome cientifico de cranioestenose.  A cranioestenose ou craniossinostose é o fechamento prematuro de uma ou mais suturas cranianas. A forma do crânio se modifica, devido ao impedimento do crescimento normal do cérebro. Esse fechamento precoce pode causar deformidades na cabeça e até graves lesões neurológicas.

Desde então, os pais,  Evellyn Freitas e Bruno Arthur, têm buscado ajuda de todos os lados.

Após a união das pessoas da comunidade e até de outras localidades, da divulgação na imprensa regional e a mobilização geral da família, no mês passado, a família conseguiu arrecadar o valor necessário para a primeira consulta, no hospital renomado, Sirio Libanês, em São Paulo (SP), o mais próximo.

Após a consulta, veio novamente a aflição e desespero da família. O valor estimado para o procedimento de uma cranioplastia para possibilitar o crescimento normal do cérebro de forma saudável, sem o aumento da pressão intracraniana que causa várias sequelas, chega no valor de R$ 217 mil.

O primeiro passos que os pais tomaram foi buscar ajuda ao Ministério Público, uma liminar favorável para que o Estado posso arcar com as despesas.

Correndo contra o tempo, pois a criança não pode esperar, a doença pode evoluir e prejudicar e muito a saúde da criança.

Em poder dos pais, estão todos os documentos que foram apresentados para o jornalista Fernando de Brito para a edição desta matéria. Como não temos autorização do hospital Sirio Libanês, nos reservamos ao direito de não publicar.

UM SUPOSTO ERRO MÉDICO

A família alega que em 2019 esteve no Ministério Público e solicitou uma liminar, que foi concedida em 18 de outubro de 2019, a criança foi submetida ao procedimento cirúrgico na Santa Casa de Campo Grande (MS), onde toda a despesa foi custeada pelo Estado de Mato Grosso do Sul e pela Prefeitura Municipal de Paraíso das Águas, a ação compartilhada para pagamento das despesas, foi no valor de R$ 50 mil.

A mãe da criança, Evellyn, informou à reportagem do BNC Notícias, que o médico que realizou o procedimento cirúrgico, era de fato um neurocirurgião, mas não o especialista que deveria realizar a cirurgia. Com isto, ela alega que a criança sofreu algumas sequelas e agora, o mais próximo especialista fica em São Paulo. 

Esta informação consta nos autos do processo que corre na justiça.

O secretário municipal de Saúde, Ueder Pereira de Paula, confirmou a informação e as medidas cabíveis foram tomadas.

Na tentativa de arrecadar o valor, a família enquanto isto, recorre à solidariedade das pessoas.

Foi iniciada uma nova campanha nas redes sociais. Através do aplicativo Vakinha, os solidários podem contribuir.

Acesse ao blog da história do pequeno Davi. Instagram

Acesse ao aplicativo Vakinha para fazer sua doação.