Paraisense é condenado à 8 anos de prisão em regime fechado acusado de estupro em 2010

A Polícia Militar de Paraíso das Águas cumpriu o mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça

Por Fernando Brito 10/06/2019 - 21:08 hs

Um homem, morador de Paraíso das Águas, de 40 anos, acusado de estupro em 2010 contra a cunhada foi condenado em 8 anos e 6 meses de reclusão em regime fechado.

A informação é da Polícia Militar de Paraíso das Águas que cumpriu o mandado de prisão nesta segunda-feira, 10/6.

O acusado responde pelo crime de estupro contra a própria cunhada. Menor de idade, ela denunciou o cunhado à polícia de Costa Rica, que instaurou o inquérito. À época não houve provas concretas contra o acusado, por isso, não foi preso em flagrante, mesmo assim, a justiça entendeu que o cunhado é autor de estupro.

A ocorrência foi registrada na delegacia de Polícia Civil de Costa Rica, jurisdição do então distrito de Paraíso. O crime teria sido praticado em uma fazenda no município de Paraíso das Águas, onde a cunhada morava com a irmã e o acusado.

À época a cunhada tinha apenas 11 anos de idade.

O acusado nega a acusação desde o início do inquérito. Ele foi preso e conduzido à delegacia de Polícia Civil de Paraíso das Águas, onde aguarda vaga em um presídio da jurisdição, onde deverá cumprir à pena.

O processo que tramitava desde 2010 teve a sentença marcada recentemente. A família está consternada com a decisão judicial e acredita na inocência do acusado.

Desde o início do processo o acusado mantém sua versão de inocência e que jamais praticou qualquer ato com a vítima. Durante todos estes anos ele fez sua defesa que acabou não sendo acatada pela justiça.

O acusado é casado até hoje com a mesma esposa, com quem tem dois filhos menores de idade. A esposa do acusado sempre acreditou em sua inocência, conforme apurou o BNC Notícias.

A família da própria vítima acredita na inocência do rapaz e que tudo não passou de um mal atendido.

"Ele sempre foi um excelente pai de família, trabalhador, honesto e dedicado. Acredito na inocência dele", afirmou uma amiga da família.

*Matéria editada para correção na informação, às 9h48, do dia 12/06/2019.