Preocupados com onda de furtos no comércio, empresários pedem socorro e querem reunião com autoridades de Costa Rica

Várias lojas de diversos segmentos têm sido arrombadas e furtadas nos últimos meses

Por Fernando Brito 11/07/2019 - 15:13 hs

Preocupados com a onda de arrombamentos e furtos que causa grandes prejuízos ao comércio de Costa Rica, empresários da cidade estão se organizando em busca de medidas que possam fortalecer a segurança, principalmente no período da madrugada. O objetivo deles é conseguir encontro com o Poder Judiciário, Polícia Civil e Polícia Militar, para debaterem uma solução para o problema.

Ontem, mais de 20 empresários se reuniram em uma empresa que fica na Rua Avelina Paes Ananias, para definir as ações do grupo. Eles estão apreensivos, pois no mês passado, especialmente, vários estabelecimentos dos mais variados segmentos foram alvos de ações criminosas. Lanchonetes, lojas de celulares, lojas de informática, lojas de roupa e várias outras foram arrombadas.

“Estamos pedindo socorro, pois temos ficado no prejuízo. Não adianta mais instalar câmeras de segurança, pois elas não inibem a ação. Elas servem para a polícia investigar, mas eles [ladrões] não respeitam. A polícia tá trabalhando e prendendo, mas vejo que estão enxugando gelo, porque os criminosos são presos e logo depois são soltos”, disse Miguel Marco Aurélio Dias Machado, empresário dono de uma loja de celulares invadida e um dos idealizadores do grupo.

Além do prejuízo dos objetos levados, também ficou o prejuízo por conta das portas, janelas, vidraças e até mesmo telhados destruídos. Apesar da onda de furto ter se intensificado em junho, os casos vêm ocorrendo há meses e contam com a participação de adolescentes e integrantes de facções criminosas, dentre os quais alguns que já foram presos várias vezes pelo mesmo tipo de crime.

“Nossa intenção é falar com o Judiciário e com a polícia, para entender o que eles estão fazendo nas madrugadas e quais medidas podem ser adotadas. Porque o que a gente vê é um menor é apreendido entrar pela porta da frente e sair pela porta da frente. Os pequenos comerciantes estão sendo lesados e não dá pra gente perder noites de sono vigiando nossas lojas pelas câmeras. Queremos uma solução urgente”, disse o empresário Luiz Paulo Federice Remelli, dono de uma loja de cartuchos arrombada no último dia 04.

Associação
Também está na pauta do grupo a criação da Associação de Segurança dos Empresários de Costa Rica (Asserc). O projeto consiste na formação de um órgão de assessoramento à segurança dos empresários do município, visando a segurança nos comércios. “A associação poderá ser tanto de caráter consultivo quanto deliberativo, vinculado à Secretaria de Segurança do município, ou aos demais órgãos de segurança Municipal ou Estadual”, disse Miguel.

Por meio da Assecr, será criado um Fundo Municipal para o projeto. Trata-se de um instrumento de captação e aplicação de recursos que contribuirá para custear ações em apoio à segurança ao comércio local. “Esse fundo poderá ser composto por transferências e repasses do município, do Estado e da União; contribuições de setores públicos e privados; convênios, contratos e acordos firmados com instituições públicas ou privadas e doações de pessoas físicas ou jurídicas”, destacou Miguel. Segundo ele, os valores serão usados para custeio de combustível e manutenção de viaturas, investimentos em equipamentos e outras necessidades.

FONTE: MS TODO DIA